Polícia


PF combate fraudes previdenciárias que superam os R$ 40 milhões

Operações da PF seguem desmontando esquemas criminosos (Divulgação)Operações da PF seguem desmontando esquemas criminosos (Divulgação)A Polícia Federal, em ação conjunta com o Ministério da Previdência Social, deflagrou na madrugada de hoje (31) a Operação Nomadismo em Brasília. A ação tem objetivo de desarticular uma organização criminosa que, pelos menos desde 1998, vinha fraudando benefícios da Previdência Social. Estima-se, com a análise preliminar de 60 benefícios fraudulentos, que as fraudes podem ter rendido até R$ 4 milhões, no entanto, o prejuízo causado pelo grupo desde 1998 pode superar a marca dos R$ 40 milhões.

O nome da Operação foi escolhido em razão das constantes mudanças de endereços dos escritórios e residências dos alvos da investigação. As seguidas alterações de endereços dificultaram os trabalhos policiais e a continuidade das investigações.

Cerca de 130 policiais federais e analistas do Ministério da Previdência Social cumprem 22 mandados de busca e apreensão e 17 ordens de condução coercitiva. A ação de hoje é resultado de uma investigação iniciada em 2010 e que, ao longo dos quatro anos de investigações, foi capaz de mapear as ações dos investigados.

As fraudes do grupo consistiam na inserção de informações falsas na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) e depois na GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS), fazendo os sistemas previdenciários crerem que eram trabalhadoras de determinadas empresas, sem nunca ter trabalhado nelas, e, portanto, segurados da Previdência Social.

O esquema começou com um dos investigados no Paraná que, depois de cometer delitos naquele estado, migrou para o DF. No Distrito Federal, um dos alvos da operação uniu-se a despachantes, contadores e falsos empresários. Há o envolvimento de escritórios de contabilidade, que usam empresas inativas de fachada, além de atravessadores e possíveis servidores da Previdência Social.

Somente um dos alvos investigados obteve para si diversos NIT (Número de Identificação do Trabalhador) e CPF, fazendo-se passar por mais de dezenas de pessoas. (Polícia Federal)

Você está aqui: Home Polícia